Os discos ópticos

Como é o CD? Como funciona? Tecnologias CD Vs DVD          

As unidades ou drives de discos ópticos são dispositivos que lêm e,em alguns casos, também escrevem informação em suportes ópticos.

Actualmente podemos considerar duas gerações principais de discos ópticos, cada uma delas com tipos próprios:

1- CDs (Compact Disk ou Disco Compacto)

2- DVDs (Digital Versatile Disk ou Disco Digital Versátil)

Tanto o CD como o DVD funcionam por processos ópticos em contraste com as disquetes, cassetes e discos duros que são magnéticos. Os meios de armazenamento óptico são lidos com um raio laser.

A ideia que levou à invenção do CD-ROM foi muito simples: armazenar dados de computador num CD, em vez de som. Foi introduzido pela Philips e pela Sony em 1980 para substituir os discos LP.

Como é o CD?

O disco em si consiste numa fina película de alumínio "ensanduichada" entre duas camadas protectoras de plástico. Na fase de fabrico, os dados são impressos no disco sob a forma de cavidades (áreas sem nada) e de áreas preenchidas, que representam os 1s e os 0s dos dados binários.

esta imagem mostra a superfície de um CD à qual foi retirada o revestimento de plástico por forma a se poder ver a camada de alumínio com as suas cavidades e áreas preenchidas

As cavidades e áreas preenchidas formam uma espiral que vai desde o centro do disco até à sua periferia.

 

topo

 

 

Como funciona?

Quando o disco é tocado, uma cabeça equipada com um feixe de raios laser passa sobre o CD-ROM em movimento através de um sistema de prismas e de espelhos. O feixe penetra na camada protectora de plástico até à camada de alumínio. A maior parte do feixe é absorvido quando atinge uma cavidade, apenas sendo reflectida uma pequena parte da luz. Quando ele atinge uma área preenchida, a maior parte da luz é reflectida de volta. A luz reflectida é dirigida (de novo, através de um prisma) para um fotodíodo sensível à luz, que traduz os padrões luminosos em dados binários.

1- Díodo de laser — Produz um feixe de raios laser altamente concentrado, que pode ser dirigido para 1 milésimo de milímetro.

2 - Prismas — O feixe de raios laser passam por um conjunto de prismas, que o ajustam.

3 - Espelho — O espelho reencaminha a luz reflectida para a cabeça de leitura.

4 - Cabeça de leitura — A cabeça de leitura movimenta-se radialmente face ao disco, dirigindo o feixe de laser para a área a ser lida.

5 - Rotação variável — O disco roda de modo a trazer mais dados ao feixe de raios laser. Para manter constante o ritmo a que os dados são acedidos, o disco roda mais lentamente quando a cabeça de leitura está amis perto do centro.

6 - Viagem de regresso — A luz é reflectida pela superfície do disco e regressa através da cabeça de leitura, do espelho e dos prismas. Na viagem de regresso, os prismas encaminham o feixe para o fotodíodo.

7 - Fotodíodo — Este componente fotossensível transforma a luz reflectida pelo disco em código binário e depois envia-o para o processador.

topo

 

 

Diferentes tecnologias

Quer os CDs quer os DVDs apresentam em geral, as seguintes vantagens como suporte de armazenamento de informação:

— permitem armazenar grandes quantidades de informação numa pequena porção de espaço (esta vantagem é ainda mais reforçada no caso dos DVDs)

— a informação gravada tem uma durabilidade superior à dos suportes magnéticos, visto que não é destruída por interferências electromagnéticas

— podem ser facilmente transportados para outros computadores

 

As suas principais desvantagens, até ao momento, têm sido as seguintes:

— o problema damvelocidade de leitura dos dados

— o problema de apagar e regravar a informação

 

Como a tecnologia dos suportes ópticos continua a evoluir, algumas das desvantagens foram atenuadas:

— a velocidade de funcionamento tem vindo a aumentar mas ainda se mantém inferior à dos discos-duros

Cabe aqui dizer que a questão da velocidade não se resume ao tempo de busca: os dados precisam de ser transferidos do disco para a memória do PC a um ritmo aceitável — a taxa de transferência de dados.

Os primeiros leitores de CD-ROM transferiam dados a 150 KB/s (kilobytes por segundo). Apareceram depois leitores de velocidade dupla, com uma taxa de transferência de dados de 300 KB/s. Existem no momento leitores com taxas de transferências já muito superiores: 12x; 24x;...

— quanto ao problema da regravação, têm surgido diferentes tecnologias:

 

CD-ROM

DVD-ROM

são discos que apenas permitem a leitura da informação neles contida; esta não pode ser alterada; ROM = read only memory

CD-R

DVD-R

também podem ser chamados WORM (write once read many)
são discos que permitem a escrita de informação, mas, essa informação passa a ser apenas de leitura, não podendo voltar a ser alterada

CD-RW

DVD-RW

discos regraváveis, graças a uma tecnologia que combina a técnica da leitura óptica com a técnica de gravação electromagnética

 

topo

 

Comparação CD-DVD

 

A principal diferença entre estes dois tipos de suportes ópticos reside na maior capacidade ou densidade de informação dos DVDs relativamente aos CDs. O DVD pode ser visto como um CD de alta densidade. Esta alta densidade traduz-se numa maior capacidade de armazenamento. Enquanto os CDs apresentam um limite na casa dos 650 MB, os DVDs ultrapassam largamente esse limite. Podemos ter DVDs com capacidades de 4, 6 GB ou mais.

 

topo